Setor vê redução do IVA como âncora para a sobrevivência

Restauração | Covid-19

A Associação Nacional de Restaurantes - PRO.VAR - considera "decisiva" a diminuição do IVA [imposto sobre o valor acrescentado] da comida na restauração de 13% para 6%. Esta medida conseguiria manter mais de 45 mil empregos e salvar o setor de uma queda abrupta, segundo o 'Estudo do Impacto da redução temporária da taxa do IVA no setor da Restauração e Similares', solicitado pela Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) à PwC.

A medida temporária de redução do IVA no setor da restauração e relacionados ajudaria a salvar 46 mil postos de trabalho e 10 mil empreendimentos, ao manter 606 milhões de euros nas tesourarias das empresas.

O estudo revela ainda que cerca de 18% das empresas de restauração admitem que a probabilidade de manter a totalidade dos colaboradores até ao final de 2020 é reduzida. Para além disso, face às perdas de faturação acima de 40%, assinaladas por mais de 63% das empresas, 32% dos agentes económicos tencionam entrar em insolvência.

A associação refere que "o esforço público financeiro líquido indicativo, não ascenderia a mais de 90 milhões de euros, para permitir a manutenção de mais de 17% do emprego do setor". Ou seja, a recompensa do investimento do Estado seria em cerca de 516 milhões de euros, por via de receita de IRS, TSU e redução de despesa com subsídio de desemprego.

"As medidas até agora aprovadas pelo Governo são insuficientes e podem não ter servido para nada, pois se não salvarmos o bem maior que é o emprego e as empresas, todo o esforço nos apoios até então aprovados terá sido em vão", acrescenta a PRO.VAR, que vê esta medida como um "sinal de esperança para o setor". Segundo a associação, a pandemia provocada pela covid-19 poderá encerrar 30.000 empresas e desempregar 150.000 trabalhadores.

Fonte: Notícias ao Minuto